César Guerra-Peixe – 3 peças para viola

Olá pessoal! Segue essa belíssima peça para viola legitimamente brasileira.

Guerra-Peixe

César Guerra-Peixe (Petrópolis, 18 de março de 1914 — Rio de Janeiro, 26 de novembro de 1993) tinha esse dom, conseguia nos transportar para onde queria, mostrava cenários, paisagens, com uma emoção que não pode ser explicada.

Guerra-Peixe em suas principais obras deixa clara a influencia que a cultura popular do Brasil (especialmente do Nordeste) trouxe para sua vida e obra. Suas pesquisas geraram um material importantíssimo para compreensão da musica brasileira, gerando obras como a Sinfonia Brasileira.

Essa peça que posto, ou melhor, esse conjunto de três peças, é uma mostra do trabalho desse grande músico e maestro brasileiro especificamente para a nossa amada Viola!

Segue o Link:

GUERRA-PEIXE 3 peças

Abraço Pessoal!

COMENTEM!

Método Suzuki 7 e 8 para viola…

Olá pessoal!

Como alegria de pobre dura pouco os métodos 7 e 8 do Suzuki não são completos ( :( )

Pois é, são apenas material de divulgação, mas tem partituras completas e são interessantes para leitura mais avançada.

Seguem os links:
Suzuki Viola School – Volume 07
Suzuki Viola School – Volume 08

E assim termina a saga Suzuki!

Piada Infeliz

p.s.: Desculpem a piada infeliz…

Abraços e bons estudos!

Método Suzuki 6 para viola!

Olá pessoal!

Seguindo nossa saga Suzuki, mais um método e de brinde, para ilustrar esse post, um vídeo da maior orquestra de violas do mundo haha. Essa orquestra se forma nos encontros da Associação Portuguesa da “viola d’arco”, um exemplo para o mundo todo.

Link:

Suzuki Viola School – Volume 06

bem que poderíamos arranjar um grupinho assim por aqui não? haha

Abraço!

Concerto – pseudo J C Bach do Casadesus

Olá Pessoal!

Se tem alguém no mundo da viola que eu admiro esse cara é o Henri Casadesus. Pode parecer bobagem, afinal com seus falsos concertos e peças enganou um bocado de gente haha. Mas o incrível é como ele consegue mostrar os pseudo autores e ainda manter características próprias de si mesmo, uma espécie de assinatura. Um clássico violístico da série “Se não tocou, felizmente vai tocar”.

Bigodinho

Segue o Link:

JC_Bach_Viola_Concerto

Agradecimentos especialíssimos a Daiane Soares, que nos enviou bastante material e já entra para a página honorária do blog!!

Um grande abraço!